A Lua Negra surgiu como a própria Lilith se fez: de recusas. A Lua Negra, que é a Lua Nova, que é a Lilith na astrologia, se guia pelo escuro para renascer em outros caminhos. Nos campos, é na Lua Negra que se planta a semente, a qual vai, sozinha, quebrar a própria casca — seguindo dentro da escuridão da terra, uma hora, ela acha a superfície. A Lua Negra Cartonera nasce e se põe em Maceió — acha caminhos, abre canais, e segue parindo seus livros à mão.



MALUQUETE QUER DANÇAR, Poemas & Geometrias
Ana Karina Luna
Lua Negra Cartonera, 2019
25 poemas + 7 geometrias
Ver Mais →

R$40,00 (frete grátis)
Comprar →




SAINDO DA PISCINA DE ÉTER, Poemas Ilustrados
Ana Karina Luna
Lua Negra Cartonera, 2017
61 poemas + 14 ilustrações
Ver Mais →

R$40,00 (frete grátis)
Comprar →



O que é o Movimento Cartonero?
Livros cartoneros são feitos reutilizando o papelão de caixas usadas (o 'cartón') para confeccionar as capas. É um movimento latino-americano iniciado por catadores de lixo na Argentina. Editoras cartoneras fucionam em sistema de mutirão, com voluntários, no melhor do estilo matriarcal: cooperação e não-competição. Estes livros são feitos à mão, e apenas para o miolo foram usadas máquinas de impressão, no melhor do mundo patriarcal. São vendidos a preços justos e recuperam a autonomia do escritor. E, assim, eles são 'disruptores' da ordem normal de publicação.
© 2020 Lua Negra Cartonera. Todos os direitos reservados.